“Todos estavam surpresos e impressionados com o discurso do Bolsonaro na Cúpula do Clima, mas no dia seguinte ele cortou verba do Meio Ambiente, vemos que o discurso não condiz com as ações”, destaca o consultor em Gestão Pública, Romildo Campello

Um dia após a promessa de aumento de orçamento durante a Cúpula do Clima, o Governo corta verba para o Meio Ambiente. Dados oficiais apontam um corte de 24% nos gastos com o Meio Ambiente para este ano. Outro assunto em destaque é o retorno das aulas presenciais na rede municipal das cidades do Alto Tietê que ainda é indefinido. A Justiça pediu informações à Prefeitura de Mogi das Cruzes em relação à proibição de aulas presenciais nos cursos técnicos de Saúde do município. Acompanhe os destaques com a participação especial do consultor em Gestão Pública e colaborador da Rádio Metropolitana, Romildo Campello, que faz análise dos assuntos da semana.

“Todos estavam surpresos e impressionados com o discurso do Bolsonaro na Cúpula do Clima, mas no dia seguinte ele cortou verba do Meio Ambiente, vemos que o discurso não condiz com as ações. Ficou feio para o Brasil diante das autoridades internacionais e até o Salles sentiu, tanto que pediu que o valor fosse restituído”, comentou o gestor sobre a decisão do presidente Bolsonaro que surpreendeu até o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles. Romildo Campello explicou sobre o documento de defesa da democracia assinado por políticos aliados em manifesto de presidenciáveis para a união do centro em 2022.

E em Mogi das Cruzes, todos aguardam a confirmação do novo nome do responsável pela Secretaria de Saúde. Segundo Romildo Campello, se for confirmado o médico Dr. Zeno Morrone Junior vai ser uma boa escolha do prefeito Caio Cunha. “Se for ele eu fico feliz. Acho que ele representa bem o munícipio, é competente e tem vasta experiência na cidade”, elogiou o gestor sobre a indicação do ginecologista, obstetra e legista. Acompanhe