O secretário municipal de Educação, André Stábile, explica o plano de retorno às aulas presenciais, e a especialista, Dra. Andréa Lícia, faz uma análise desse momento no Radar

A Prefeitura de Mogi das Cruzes, através da Secretaria Municipal de Educação, explica a efetivação do calendário de retorno às aulas presenciais com base nas necessidades de alunos e responsáveis, bem como uma maneira de reduzir o déficit educacional causado pela paralisação devido à pandemia de Covid-19.

Hoje o Radar repercute a entrevista do secretário de Educação, André Stábile, que elencou os principais pontos que validaram a criação do calendário. Acompanhe o destaque com a participação especial da consultora especializada em Educação da Comunicatudo, professora Dra. Andréa Lícia, que faz uma análise do calendário escolar e o posicionamento da Prefeitura.

Mencionado durante as entrevistas como um alerta a importância da escola como agente do Estado nas comunidades, hoje algumas das principais consequências da pandemia são o aumento de alunos em situação de vulnerabilidade alimentar e violência. “A escola é um lugar seguro e precisamos voltar com segurança e todos os protocolos”, destaca a professora Andréa Lícia.

O secretário André Stábile menciona entre as justificativas do calendário, a preocupação com o déficit educacional com os alunos há mais de um ano.

Segundo os cálculos da UNESCO, a pandemia aumentará em um terço o déficit de financiamento necessário para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável na Educação.  A falta de estrutura é a razão pela qual o número da busca por terapia aumenta a cada dia, como aponta a especialista. “Etapa importante e difícil”, ressalta sobre a alfabetização.

Acompanhe a entrevista completa.