O ouvidor das Polícias do Estado de São Paulo, Dr. Elizeu Soares Lopes, faz alerta sobre a importância de denunciar e indica todos os meios para acessar os serviços da Segurança Pública de São Paulo

Alto Tietê registra redução de 14,4% em denúncias recebidas na Ouvidoria das Polícias do Estado em comparação aos anos anteriores de 2019 e 2020. O índice vem caindo, no total, foram 331 denúncias em 2019 contra 282 em 2020 nas cidades da região. O ouvidor das Polícias do Estado de São Paulo, Dr. Elizeu Soares Lopes, é o entrevistado especial do Radar Noticioso. Ele analisa os números e apresenta mais informações sobre a Segurança Pública no Alto Tietê. Afinal, a violência diminuiu ou foram apenas as denúncias que reduziram?

Dados apontam que Guarulhos (140), Itaquaquecetuba (40), Mogi das Cruzes (31), Suzano (28) e Poá (12) lideram o ranking das cidades que apresentaram maior índice de reclamações respectivamente em 2020. Já do outro lado da tabela aparecem Guararema (1), Biritiba Mirim (3), Santa Isabel (4) e Arujá (8), como os municípios que registraram menos reclamações na Ouvidoria das Polícias do Estado respectivamente em 2020.

A deficiência no atendimento pela Polícia foi a reclamação que apresentou maior alta, entre os 23 itens elencados no levantamento da Ouvidoria. Foram 56 reclamações registradas nas cidades do Alto Tietê no ano passado. A solicitação de policiamento (49) foi a segunda maior demanda registrada, seguida por morte em decorrência de intervenção policial (44), abuso de autoridade (18), infração disciplinar ou transgressão disciplinar (17), solicitação de intervenção em ponto de drogas (14) e comunicação de crime (13).

O especialista Dr. Elizeu Soares Lopes afirma que a pandemia realmente impactou o ritmo da Ouvidoria da Secretaria da Segurança de São Paulo e a queda de denúncias não significa que diminuiu a violência.

O advogado também destaca que faltam políticas públicas para o enfretamento e combate à criminalidade, inclusive do crime organizado. “A ausência do Estado causa o aumento acentuado de organizações criminosas”, destaca. Ainda sobre o aumento da bandidagem, o ouvidor exemplifica os prejuízos da falta de Segurança Pública no Rio de Janeiro. “A gente vê milícias e bandidos fardados, que usam sua posição para fazer atividade criminosa. E dominam toda uma comunidade porque o Estado está ausente”, explica.

O ouvidor ainda ressalta que hoje já existe no Brasil uma tecnologia que permite o monitoramento das atividades policiais. “Câmeras acopladas ao colete prova de balas de controle simultâneo. O sistema protege o policial e também os cidadãos”, avisa. Ele também garante que as denúncias fazem parte de um sistema que permite criar mais mecanismos para o combate da transgressão à lei, por isso a importância dos canais que recebem as denúncias serem de conhecimento da comunidade.

Para encaminhar sua denúncia à Ouvidoria é preciso fazer um histórico dos fatos ocorridos, além de fornecimento de dados como local, data, horário, nome dos policiais, número da viatura, se são policiais civis ou militares, etc., ou seja, quanto mais dados forem fornecidos, maiores serão as chances de que o resultado das apurações seja satisfatório. E é possível encaminhar a denúncia nos seguintes contatos; e-mail: ouv-policia@ouvidoria-policia.sp.gov.br ou telefone 0800-177070 das 9h00 às 17h00. Acompanhe a entrevista completa