Prefeito Caio Cunha garante que “Pequenos Músicos” vai continuar, mas que é preciso incluir detalhes no contrato de como ocorre a prestação de serviço

Com a continuidade ameaçada, o projeto “Pequenos Músicos… Primeiros Acordes na Escola” pode deixar cerca de 11 mil crianças sem aulas de musicalização em Mogi das Cruzes. Além do prejuízo aos estudantes – que já levaram o nome da cidade para grandes eventos como o Festival de Inverno de Campos do Jordão e a Sala São Paulo – 70 músicos da Sinfônica Mogi, entidade responsável pelos trabalhos – podem ficar desamparados. Vereadores debateram o assunto ontem (17/07) durante a sessão na Câmara Municipal e solicitaram que o prefeito Caio Cunha (Pode) reavalie a situação. O prefeito divulgou em suas redes sociais um vídeo alegando que o ocorrido é efeito da readequação de contratos. Acompanhe a entrevista com o coordenador musical e regente, Allan Caetano de Paulo, que afirma estar muito preocupado com os 70 músicos que estão desde janeiro sem receber seus salários. Sem amparo e posicionamento oficial, os músicos e profissionais estão preocupados quanto ao futuro do projeto e a sua agenda, que inclusive previa uma participação e apresentação para o nos próximos dias.