Os testes acontecerão nos bairros Cocuera e Pindorama nos próximos domingos, dias 13 e 20 de junho

Sindicato Rural de Mogi das Cruzes realiza campanha de testagem e mapeamento das contaminações da Covid-19 nas áreas rurais de Mogi das Cruzes. Quem traz o destaque é o presidente do Sindicato Rural de Mogi, Gildo Saito.

Produtores rurais, trabalhadores e seus familiares que trabalham e moram na área rural tem direito de realizar o teste rápido de forma gratuita nos próximos dois domingos, dias 13 e 20 de junho. O Sindicato convida os moradores dos bairros Cocuera e Pindorama para que colaborem com a campanha para a prevenção e monitoramento dos casos.

Gildo Saito esclarece ser preciso fazer um pré-cadastro para acessar o serviço: é possível realizar pelo número de WhatsApp (11) 967006499 ou telefone do Sindicato 4723-8233. “Não é preciso ser associado ao sindicato mas precisamos mapear as áreas rurais”, ressalta. A iniciativa da campanha responsável pelo “Programa Semear da Esperança” também estará colhendo doações de alimentos durante os dias de testagem.

No país e na região, agricultores familiares e extrativistas sofrem os efeitos das quedas nas vendas. O presidente conta que houve ainda através da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Hortaliças, aliadas ao Sindicato, uma renegociação de dívidas, favorecendo o pequeno agricultor da cidade.

No entanto, “a responsabilidade de produzir para não haver um desabastecimento continua preocupando”. E como afirma, os números do mercado e a instabilidade da colheita desgastam. “Porquê eu vivo disso, é o nosso sustento”, conta. Para ele, mesmo com o crédito facilitado para o setor, a dificuldade é extrema pela alta nos insumos. “Se eu parar para pensar, não tem um item que não tenha tido aumento”, declara.

Entre as muitas provações do setor durante a pandemia, o Sindicato ainda luta contra a instalação de pedágios em Mogi das Cruzes. O movimento de oposição ocorre desde 2019. Gildo Saito afirma que a Mogi-Dutra é a principal via de escoamento da produção agrícola para São Paulo e outras regiões, e a decisão afeta diretamente os agricultores.

“Não vai favorecer Mogi em nada. E nós da área rural dependemos dessa estrada porque todos os nossos insumos chegam pela Mogi-Dutra”, conta preocupado com a elevação, novamente, das matérias-primas do agronegócio. Acompanhe a entrevista completa.