Atualmente novas práxis educacionais perfilam o pensamento e o planejamento de muitos educadores

Créditos: Imagem Divulgação

Propostas como sala de aula invertida, aprendizagem pautada em problemas, conteúdos fracionados e adaptáveis, entre outras, se fazem presente no propósito de romper com estruturas herméticas e engessadas. É nesta esteira que propostas como ambientes de simulação e jogos ganham cada vez mais destaques no cenário educacional.

Tendo a ludicidade e a experimentação como pano de fundo, ações em que a ampliação da realidade por meio da simulação e dos jogos tornam o processo de ensino aprendizagem mais sedutor, provocam uma imersão dos envolvidos dentro do processo, colaborando assim para um maior envolvimento, atenção e retenção dos conteúdos envolvidos.

Com o crescimento do uso da tecnologia no meio educacional, práticas de simulação e jogos podem ser produzidas e realizadas pelos próprios alunos e professores, o que tornam muito mais prazeroso a construção do processo de ensino e aprendizagem.

Aos colegas docentes que ainda não estão adeptos a esta causa, busquem se aprofundar e capacitar nesta temática, todos só tendem a ganhar.