A secretária de Transportes de Mogi das Cruzes, Cristiane Ayres, explica como vai melhorar o trânsito e o transporte da cidade, além de comentar como vai ficar o caso do ISS das empresas de ônibus da cidade

TRANSPORTE: Superlotação, horários de pico estendidos, redução de linhas, entre outras reclamações estão sendo feitas no Radar Noticioso. A recente notícia de que a Prefeitura vai manter o valor da passagem em R$ 4,50 trouxe também um debate acerca das mudanças no transporte público a partir de 2022. Acompanhe a entrevista especial com a secretária de Transportes de Mogi das Cruzes, Cristiane Ayres, que destacou quais os planos da gestão para contornar o aumento das tarifas de ônibus solicitadas pelas empresas de ônibus.

A secretária explicou que a tarifa dos ônibus da cidade não vão aumentar este ano, mas que o aumento poderá vir no início de 2022. “Estamos estudando porque as empresas apresentam a planilha com os custos para justificar essa solicitação de aumento, mas isso não é algo que a gente olhe e fale ‘ok’. A gente teve uma variação desde o começo da pandemia de 65% do diesel, a Prefeitura da a ordem de serviço para a empresa. Quantos carros vão andar, qual o km e etc. Se você for acompanhar nessa planilha que foi apresentada a cada serviço você tem a quantidade de quilômetros rodados e isso multiplicado pelo valor do diesel. Você percebeu que a gente tem que olhar mês por mês e ver qual era o valor do diesel a cada momento? Não é simples! Além dos quilômetros, tem os lubrificantes, o desgaste dos pneus, o que aconteceu com os ônibus e isso tem que ser analisado, não é do dia para a noite”, destacou.

As empresas de ônibus não pagam Impostos Sobre Serviços (ISS) há oito anos e a secretária disse que realmente isso vai acabar. “As empresas obrigatoriamente precisam pagar os seus impostos, o Imposto Sobre Serviços das empresas é no valor de 4%. Houve duas leis em Mogi das Cruzes, acho que uma em 2013, e por quatro anos a isenção era de 2% e depois houve uma lei que mudou para 4%, mas isso é uma tratativa do passado a gente não sabe quais foram os trâmites e o que levou a essa isenção. As empresas de ônibus vão ter que pagar todos os impostos, igual todas as pessoas e todas as outras empresas, pois é o mínimo que temos que fazer. Um respeito a todos, pois todos temos direitos e deveres”, afirmou.

Quer saber mais sobre a mobilidade urbana da cidade de Mogi das Cruzes e quais são as medidas que estão sendo adotadas pela Secretaria de Transportes para melhorar o trânsito da cidade? Acompanhe a entrevista completa.

TRANSPORTE: Superlotação, horários de pico estendidos, redução de linhas, entre outras reclamações estão sendo feitas no Radar Noticioso. A recente notícia de que a Prefeitura vai manter o valor da passagem em R$ 4,50 trouxe também um debate acerca das mudanças no transporte público a partir de 2022. Acompanhe a entrevista especial com a secretária de Transportes de Mogi das Cruzes, Cristiane Ayres, que destacou quais os planos da gestão para contornar o aumento das tarifas de ônibus solicitadas pelas empresas de ônibus.

A secretária explicou que a tarifa dos ônibus da cidade não vão aumentar este ano, mas que o aumento poderá vir no início de 2022. “Estamos estudando porque as empresas apresentam a planilha com os custos para justificar essa solicitação de aumento, mas isso não é algo que a gente olhe e fale ‘ok’. A gente teve uma variação desde o começo da pandemia de 65% do diesel, a Prefeitura da a ordem de serviço para a empresa. Quantos carros vão andar, qual o km e etc. Se você for acompanhar nessa planilha que foi apresentada a cada serviço você tem a quantidade de quilômetros rodados e isso multiplicado pelo valor do diesel. Você percebeu que a gente tem que olhar mês por mês e ver qual era o valor do diesel a cada momento? Não é simples! Além dos quilômetros, tem os lubrificantes, o desgaste dos pneus, o que aconteceu com os ônibus e isso tem que ser analisado, não é do dia para a noite”, destacou.

As empresas de ônibus não pagam Impostos Sobre Serviços (ISS) há oito anos e a secretária disse que realmente isso vai acabar. “As empresas obrigatoriamente precisam pagar os seus impostos, o Imposto Sobre Serviços das empresas é no valor de 4%. Houve duas leis em Mogi das Cruzes, acho que uma em 2013, e por quatro anos a isenção era de 2% e depois houve uma lei que mudou para 4%, mas isso é uma tratativa do passado a gente não sabe quais foram os trâmites e o que levou a essa isenção. As empresas de ônibus vão ter que pagar todos os impostos, igual todas as pessoas e todas as outras empresas, pois é o mínimo que temos que fazer. Um respeito a todos, pois todos temos direitos e deveres”, afirmou.

Quer saber mais sobre a mobilidade urbana da cidade de Mogi das Cruzes e quais são as medidas que estão sendo adotadas pela Secretaria de Transportes para melhorar o trânsito da cidade? Acompanhe a entrevista completa.

A secretária de Transportes de Mogi das Cruzes, Cristiane Ayres, explica como vai melhorar o trânsito e o transporte da cidade, além de comentar como vai ficar o caso do ISS das empresas de ônibus da cidade

TRANSPORTE: Superlotação, horários de pico estendidos, redução de linhas, entre outras reclamações estão sendo feitas no Radar Noticioso. A recente notícia de que a Prefeitura vai manter o valor da passagem em R$ 4,50 trouxe também um debate acerca das mudanças no transporte público a partir de 2022. Acompanhe a entrevista especial com a secretária de Transportes de Mogi das Cruzes, Cristiane Ayres, que destacou quais os planos da gestão para contornar o aumento das tarifas de ônibus solicitadas pelas empresas de ônibus.

A secretária explicou que a tarifa dos ônibus da cidade não vão aumentar este ano, mas que o aumento poderá vir no início de 2022. “Estamos estudando porque as empresas apresentam a planilha com os custos para justificar essa solicitação de aumento, mas isso não é algo que a gente olhe e fale ‘ok’. A gente teve uma variação desde o começo da pandemia de 65% do diesel, a Prefeitura da a ordem de serviço para a empresa. Quantos carros vão andar, qual o km e etc. Se você for acompanhar nessa planilha que foi apresentada a cada serviço você tem a quantidade de quilômetros rodados e isso multiplicado pelo valor do diesel. Você percebeu que a gente tem que olhar mês por mês e ver qual era o valor do diesel a cada momento? Não é simples! Além dos quilômetros, tem os lubrificantes, o desgaste dos pneus, o que aconteceu com os ônibus e isso tem que ser analisado, não é do dia para a noite”, destacou.

As empresas de ônibus não pagam Impostos Sobre Serviços (ISS) há oito anos e a secretária disse que realmente isso vai acabar. “As empresas obrigatoriamente precisam pagar os seus impostos, o Imposto Sobre Serviços das empresas é no valor de 4%. Houve duas leis em Mogi das Cruzes, acho que uma em 2013, e por quatro anos a isenção era de 2% e depois houve uma lei que mudou para 4%, mas isso é uma tratativa do passado a gente não sabe quais foram os trâmites e o que levou a essa isenção. As empresas de ônibus vão ter que pagar todos os impostos, igual todas as pessoas e todas as outras empresas, pois é o mínimo que temos que fazer. Um respeito a todos, pois todos temos direitos e deveres”, afirmou.

Quer saber mais sobre a mobilidade urbana da cidade de Mogi das Cruzes e quais são as medidas que estão sendo adotadas pela Secretaria de Transportes para melhorar o trânsito da cidade? Acompanhe a entrevista completa.