Com o avanço da Medicina Fetal é possível que gestantes se previnam de partos prematuros. Quem esclarece o assunto é o ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade Mogi Mater, Dr. Fauze Franco Murad

É possível prevenir a prematuridade? O número de partos de prematuros extremos pode ter diminuído em até 90% durante a quarentena. É o que dizem dois novos estudos realizados na Dinamarca e Irlanda, que apontam que o número de partos prematuros extremos – antes da 28ª semana de gestação – durante a quarentena diminuiu significativamente comparado ao mesmo período do ano passado.

O médico ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade Mogi Mater, Dr. Fauze Franco Murad, participa do Radar Noticioso trazendo orientações para as mamães. O especialista explica como prevenir a prematuridade e qual a importância do pré-natal, acompanhamento que hoje 30% das mulheres ainda não tem esse acesso adequado, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Ele comenta que existem meios de prever o nascimento prematuro, com a avaliação de um profissional que analisa se a paciente tem histórico de abortos tardios, outros nascimentos prematuros. “Fazemos acompanhamento com ultrassonografia e exames ginecológicos”, destaca o Dr. Fauze que afirma ser possível ter um parto, mesmo prematuro, com mais segurança.

Ele alerta que as causas da prematuridade variam, mas doenças vaginais e tabagismo também podem afetar na hora do parto. Segundo ele, por isso é tão importante ter uma maternidade como o Mogi Mater com UTI neonatal e UTI para as mamães com toda a infraestrutura. Acompanhe