Segundo o assessor estratégico na Secretaria Municipal de Segurança Cidadã de Suzano, Jefferson Ferreira dos Santos, o Prefeito da Academia, ele começou a trabalhar em 2015 na Prefeitura e se pergunta o porquê o Dr. Gustavo Ferreira não fez essas denúncias quando os dois ainda trabalhavam juntos

Acompanhe a entrevista especial com o ex-vereador e assessor estratégico na Secretaria Municipal de Segurança Cidadã de Suzano, Jefferson Ferreira dos Santos, o Prefeito da Academia. Ele apresentou seu posicionamento frente às acusações de que teria sido beneficiado em esquema de nepotismo cruzado entre a vereadora Gerice Lione (PL), sua esposa, e seus dois irmãos Gian de Oliveira e Hélio de Oliveira Santos Filho, que estão empregados na administração pública nos cargos de gerente administrativo do Pronto Socorro Municipal e prestador de serviço na área de controle de acesso da Santa Casa de Suzano, respectivamente.

O Prefeito da Academia disse que algumas pessoas comentaram que ele está cometendo o crime de nepotismo, mas que não é isso que está nos termos da Súmula 13 Vinculante do Supremo Tribunal Federal. “Para você caracterizar nepotismo cruzado, no mínimo teria que ter um parente ou afins da vereadora Gerice, ou do prefeito Rodrigo Ashiuchi, tivessem parentes no gabinete da vereadora Gerice e no Gabinete do Rodrigo Ashiuchi e vice-versa, de forma que isso não acontece”, ressaltou.

O assessor estratégico explicou que o seu irmão Gian de Oliveira trabalha como gerente administrativo do Pronto Socorro Municipal de Suzano desde o ano de 2014, antes do período em que ele foi trabalhar na Prefeitura e antes que a sua esposa, Gerice Lione, fosse eleita para o seu primeiro mandato como vereadora da cidade. “Meu outro irmão Hélio era prestador de serviço na Santa Casa, mas infelizmente ele já está afastado porque está tendo que tratar do rim. Porém, ele presta serviço em uma empresa terceirizada na qual a qualificação profissional atende todos os requisitos para aquele cargo e posto que ele ocupava”, afirmou.

O Prefeito da Academia destacou que começou a trabalhar na Prefeitura de Suzano em 2015. “Muito me causa estranheza do porquê, por exemplo, o Gustavo Tatau não fez essas denúncias quando nós estávamos trabalhando no mesmo governo. Eu vejo que é uma perseguição, uma oposição raivosa, canina que age de forma suja e rasteira que vem fazendo com as pessoas que tem feito com que a cidade de Suzano mudasse. É publico e notório que Suzano vem na contramão de tudo que a gente vê na nossa região e até mesmo no país”, destacou.

O assessor estratégico também contou o porque algumas pessoas pensam que ele é Ficha Suja e avisou que está a disposição para voltar para a vida pública. Acompanhe a entrevista completa.