A fila de espera dos setores de Ortopedia, Oftalmologia e Neurologia gera reclamações dos pacientes. O provedor da Santa Casa, José Carlos Petreca, explica as dificuldades que a irmandade está passando com a pandemia

Entrevista especial com o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes, José Carlos Petreca, que destaca como estão sendo os atendimentos para os pacientes de Mogi e da região do Alto Tietê. Ele respondeu os questionamentos dos ouvintes/internautas sobre a fila de espera dos setores da Ortopedia, Oftalmologia e Neurologia, além da lotação da Maternidade que é a única que oferece atendimento público com especialidade neonatal em Mogi. Com 147 anos de história, a Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes é uma instituição do setor privado e responde como pessoa jurídica sem fins lucrativos. Voltada para os serviços de saúde a Santa Casa tem aproximadamente 650 funcionários, e aproximadamente 150 médicos em seu corpo clínico. Com 182 leitos, é referência da região do Alto Tietê em Ortopedia, Maternidade de Alto Risco, Oftalmologia e Neurologia. O Hospital que oferece o único serviço público de atendimento à Maternidade, tem um histórico problemático quanto as longas filas de espera e a incapacidade de prestar assistência a toda demanda de pacientes.