Em seu terceiro mandato, Marcos Furlan, o Furlan da Academia faz apelo à situação crítica da Faculdade e do Clube Náutico Mogiano e faz alerta sobre a importância do esporte para manter a Saúde em tempos de pandemia

O convidado especial de hoje é o vereador Marcos Furlan (DEM) que está no terceiro mandato na Câmara Municipal de Mogi das Cruzes. Ex-atleta profissional de karatê Kyokushin, professor, empresário e gestor do segmento esportivo, é também presidente do tradicional Clube Náutico. Ele conta sua trajetória na Política e destaca as suas principais propostas para o município.

O vereador destacou a lei nº 7.565, de 27 de janeiro de 2021, que é da sua autoria, que classifica academias de várias modalidades, como de natação, musculação e de artes marciais como atividades essenciais. No entanto, o Ministério Público barrou a nova lei em Mogi. De acordo com a ação do MP, o texto da lei estava em desacordo com os parâmetros estipulados no Plano São Paulo, que determina as regras para o funcionamento de serviços na pandemia, com base nos índices de novos casos, internações e mortes por Covid-19.

O vereador, que também é empresário, dono da Furlan Academia Kyokushin, está reivindicando junto às autoridades as ações para conter o prejuízo econômico da cidade e da população com a paralisação das atividades comerciais. Marcos Furlan também anunciou que hoje (12/03) o Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região) e a ACMC (Associação Comercial de Mogi das Cruzes), vão debater através dos seus representantes as novas determinações e possíveis desdobramentos no setor.

Como presidente da Faculdade e do Clube Náutico Mogiano, ele faz um alerta sobre a crise que estão atravessando nesse momento da pandemia. “O Náutico é um patrimônio da cidade e precisamos nos unir para que não corra o risco de fechar as portas”. Acompanhe