Créditos: Jeshoots- Pixabay

Fundamentado no conectivismo e nos recursos educacionais abertos, os MOOCs (Massive Open Online Course) são cursos ofertadospor meio de ambientes virtuais de aprendizagem para estudantes de todo o mundo. Atualmente, muitas universidades ao redor do mundo adotaram o modelo e reúnem em suas plataformas cursos em diversas áreas do saber.

Essa tipologia de cursos, foram projetados para serem escalonáveis e oportunizar o acesso e a ampliação do conhecimento.

Embora o formato seja muitas vezes, semelhante a uma disciplina ofertada nos cursos de ensino superior, ele é ofertado de modo gratuito, separado entre as temáticas e áreas do conhecimento, tornando a modelagem do negócio diferente dos padrões habituais.

Créditos: Firbee – Pixabay

O ensino superior no Brasil caminha para a interrupção do curso normal de seu modelo e de suas práxis, os MOOCs podem ser uma alternativa a oferta de sistemas abertos dentro das estruturas das grades curriculares, em um formato combinado, híbrido, como por exemplo aulas em realidade mista e uso da holografia com formação de turmas globais.

Na teoria de aprendizagem aplicada a este modelo, o aluno é incentivado a fazer a gestão do próprio conhecimento, por meio da criação de espaços pessoais para a gestão de informação, construindo sua própria trilha de aprendizagem de acordo com sua área de interesses durante o processo formativo. 

Parece-nos que esta modelagem harmoniza com os interesses mais modernos de aprendizagem que os alunos almejam, todavia dois grandes desafios se apresentam, de uma lado a regulamentação do setor terá cada vez mais, que caminhar no sentido de possibilitar a flexibilidade e mobilidade na formação do aluno, e também, as IES terão que se modernizar, tornar seu corpo gestor e docente adequado a essas novas práxis, senão as escolas perderão espaço e credibilidade junto a seus alunos, pois muitas vezes falar sobre esta temática pode até ser factível, mas executá-la nem sempre o é.