Abordamos aqui anteriormente sobre a captação no ensino superior, estamos agora no fim de fevereiro, período crucial e decisivo para a captação de alunos no ensino superior. O impacto econômico sofrido devido a pandemia ou a outros fatores trazem dificuldades e interferem na sustentabilidade econômica do negócio, como já abordado anteriormente. São desafios da gestão educacional atrair alunos, converter em matrículas e reter calouros e veteranos!!!

Diante de um portfólio diverso, modalidades distintas e oferta de preços o que realmente atrai o aluno?

Não há formula mágica de sucesso, observar as demandas e a inserção regional da IES e sua relação com a comunidade é importante. Também não podemos ignorar a atratividade do binômio: qualidade de ensino e empregabilidade. A qualidade é mensurada através das notas dos cursos e notas do ENADE, publicadas anualmente ao fim de cada ciclo avaliativo e disponibilizadas a consulta pública e a empregabilidade expressa pelo quanto o mercado de trabalho absorve dos formados pela IES.

Mas somente esses fatores são suficientes?

Podemos considerar de extrema importância e de até caráter decisivo em uma escolha pela instituição A ou B, nas etapas de captação e conversão de matricula, mas e a retenção???

O que retém um aluno em uma escola é um conjunto de fatores que precisam estar alinhados e serem articulados simultaneamente. Podemos citar a comunicação com a comunidade acadêmica de forma clara e simples, o acolhimento, aulas de acordo com a proposta do plano de ensino, cumprimento de calendário acadêmico com aulas regulares e de modo frequente e com aulas práticas que respeitam a especificidade de cada curso.

Créditos: Nicole Utzig Mattjie

Sob a organização didático pedagógica, afirmo que o PPC (projeto pedagógico de curso), muitas vezes visto como indigesto e ignorado por vários gestores, ressalto que é uma das ferramentas mais importantes de gestão. UM PPC dinâmico, articulado, com ações que sejam reais e possíveis de serem executadas, refletem diretamente na qualidade do curso e na atratividade. A revisão e a discussão frequente do PPC, a análise das ações no curso ambas de modo colaborativo, através de gestão compartilhada traz ganhos a toda comunidade acadêmica.

E por último não podemos esquecer do fundamental a relação da gestão com os docentes, que juntamente com os alunos precisam de orientações claras, capacitações frequentes, escuta e diálogo. Criando um ambiente de confiança, acolhimento, pertencimento, motivação real, de transformação real da sociedade, onde todos ganham, cumprindo com o propósito da escola.