A Prefeitura de Mogi das Cruzes contestou e rebateu os números apresentados pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP), listados nas investigações que visam apurar irregularidades relacionadas a contratações e compras públicas emergenciais, realizadas pelo Executivo mogiano para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. Na nota à imprensa, o MP afirma que a Prefeitura comprou 540 unidades de álcool em gel de 5 litros a R$ 97.050,00 valor contestado pela administração, que afirma ter pago R$ 63.360,00 no item. Além disso, o Executivo também esclareceu sobre o apontamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que indicou dispensa de licitação e sobrepreço para a contratação da empresa que construiu, de forma emergencial, 600 jazigos durante o período da pandemia. Acompanhe o esclarecimento da Prefeitura de Mogi das Cruzes sobre a investigação do Gaeco, em que afirma que “todas as compras realizadas para dotar a cidade da infraestrutura necessário para o atendimento das vítimas da COVID-19 foram realizadas de maneira absolutamente transparente, respeitando a legislação vigente, com todas as informações disponibilizadas no portal da Transparência da Prefeitura a fim de garantir publicidade e acesso a todos sobre os recursos públicos empregados no combate à pandemia”.

View this post on Instagram

A Prefeitura de Mogi das Cruzes contestou e rebateu os números apresentados pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP), listados nas investigações que visam apurar irregularidades relacionadas a contratações e compras públicas emergenciais, realizadas pelo Executivo mogiano para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. Na nota à imprensa, o MP afirma que a Prefeitura comprou 540 unidades de álcool em gel de 5 litros a R$ 97.050,00 valor contestado pela administração, que afirma ter pago R$ 63.360,00 no item. Além disso, o Executivo também esclareceu sobre o apontamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que indicou dispensa de licitação e sobrepreço para a contratação da empresa que construiu, de forma emergencial, 600 jazigos durante o período da pandemia. Acompanhe o esclarecimento da Prefeitura de Mogi das Cruzes sobre a investigação do Gaeco, em que afirma que “todas as compras realizadas para dotar a cidade da infraestrutura necessário para o atendimento das vítimas da COVID-19 foram realizadas de maneira absolutamente transparente, respeitando a legislação vigente, com todas as informações disponibilizadas no portal da Transparência da Prefeitura a fim de garantir publicidade e acesso a todos sobre os recursos públicos empregados no combate à pandemia”. . . Sintonize na Rádio Metropolitana AM 1070 e vem comigo acompanhar as notícias e ficar por dentro dos assuntos em destaque de Mogi das Cruzes e da região do Alto Tietê, do Brasil e do mundo. Para ouvir o programa, baixe o aplicativo no seu celular ou entre pelo: http://www.redemetropolitana.com.br/radio.php?radio=mogi . . Se inscreva no meu canal do YouTube, Radar com Marilei Schiavi, e acione o sininho para você não perder nenhuma live!!! #marileischiavi #informacoes #noticias #jornalismo #mogidascruzes #altotiete #radiometropolitanaam1070

A post shared by Marilei Schiavi (@marileischiavi) on