Atualmente estamos quase que o tempo todo interagindo com algo ou alguém de forma escrita. Vendemos por meio do que escrevemos. Desde o e-mail até o WhatsApp estamos sempre teclando, escrevendo ou falando. Porém, o fato é: se as suas ideias não tem clareza, suas mensagens não são simples. Se elas não são simples, não são objetivas. E quando você perde a objetividade, você perdeu seu interlocutor.

Pessoas são programadas para entender o simples, o descomplicado. Teve que explicar? Perdeu! “Ah, mas Maisa, preciso dar detalhes do meu serviço, é bastante detalhe…”. Sim, sim! Eu imagino. Mas isso é depois! Isso vem depois de você ter conquistado a atenção da pessoa que você quer atingir. Não sei se você sabe, mas recebemos no mínimo cerca de 50 mil imputs das mais variadas fontes em um único dia. Seria então pretensão de nossa parte achar que nossa mensagem, escrita sem estratégia, ou mesmo um post, terá retorno! Impossível.

Quando ainda era uma executiva com 10 anos de experiência, a grande busca no mundo dos negócios era o tal “relacionamento”. As pessoas e empresas se matavam para conseguir e-mails ou listas de e-mails para fazer suas divulgações etc. Acontece que, com a chegada definitiva das redes sociais, acessamos quem quisermos a qualquer momento. Mas a grande questão é: como despertar a atenção da pessoa com quem você quer falar? Como fazer com que ela saia do automático?

Note que um usei há pouco a palavrinha “estratégia”. Sim, você precisará de estratégia não só para se comunicar, mas principalmente para despertar a atenção e fazer sentido para as pessoas. Fazer com que elas o procurem! Já imaginou que máximo! Você não precisar vender mais! Apenas receber seu público e lidar com a demanda?

Sim, isso é possível e é exatamente essa realidade que eu desejo que você viva. Para fazer isso você também vai precisar reescrever a palavra INTERESSE. Você precisar ter interesse nas pessoas, e não ser interesseiro. Você terá que ser interessante, definitivamente.

E mais uma vez, com isso dito, eu volto para o caderninho! Sim, é um processo de estudo, pesquisa e ajustes, até que seu texto central tome forma. Ou talvez até que você, em primeiro lugar, entenda o que você faz e que isso faça total sentido para você. Porque se não fizer, sério, pare agora.