Ciência afirma que não existe tratamento especifico para o coronavírus, quem destaca é o médico titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Dr. Luizinho

Venda de remédios sem eficácia comprovada contra a Covid-19 dispara no Brasil. Estudos apontam que o antimalárico, vermífugo e antiparasitário não ajudam a evitar mortes e quadros graves da doença. Procura na farmácia subiu acompanhando mudanças nas regras da Anvisa, que chegou a incluir e depois retirou os medicamentos da lista de controle especial. Quem traz os destaques do uso indiscriminado de medicamentos que não são efetivos no tratamento do coronavírus, é o médico titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Dr. Luiz Antonio Coelho Filho, o Dr. Luizinho, que comenta sobre as tecnologias e como agem no organismo combatendo a Covid-19. Ele também pede atenção da população quanto aos índices de contágio “O que através de 1%, 4% parece pouco nas estatísticas, significa na prática mais de mil mortes diariamente” e acrescenta que todo cuidado é necessário neste momento de incertezas, em que pesquisadores ainda investigam as possibilidades das variantes, a única certeza da Ciência é que não existe um tratamento específico para o coronavírus hoje, ele diz que “cada manifestação vai requerer um tratamento individual adequado, pacientes com quadros graves tem tido bom resultado com uso de corticoides e anticoagulantes, mas não é todo mundo que pode utilizar”. Acompanhe a entrevista completa