A afirmação é da advogada e ex-secretária de Assuntos Jurídicos da Prefeitura de Poá e de Itaquá, Dra. Erivania El Kadri

Polêmica em Poá: Projeto de lei que pretende suspender o vale-alimentação, benefício de R$ 400,00 pago aos servidores públicos, causa revolta e servidores invadem a sessão da Câmara de Poá que ocorreu na terça-feira (20/04), indignados com a votação. Nove vereadores foram a favor do projeto contra sete que não apoiaram a medida. A confusão acabou com a intervenção da Polícia Civil e Guarda Civil Municipal.

Quem traz o destaque é a advogada especialista em Direito Administrativo e ex-secretária de Assuntos Jurídicos de Poá e Itaquaquecetuba, Dra. Erivania El Kadri. Ela foi secretária da gestão do então prefeito Francisco Pereira de Souza, o Testinha de 2009 à 2011, marido da atual prefeita Márcia Bin. Segundo a advogada, o projeto de lei da prefeita Márcia Bin é inconstitucional e interfere na legislação que protege os bens adquiridos pelos servidores. “Um projeto confuso, que não faz sentido. Ela deveria pedir para sair, é uma despreparada, tirana”, criticou.

A Dra. Erivania comenta que é imprescindível que as gestões valorizem os servidores públicos. “Independente da administração, o servidor estará ali pela população”, destaca ela afirmando que vai protocolando um pedido de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) com base em 95 irregularidades encontradas em contratações da Prefeitura poaense. Acompanhe a entrevista completa e o apelo feito pela advogada para que os vereadores intervenham a favor dos servidores e contra projetos ilegais.

“Para vocês R$ 400,00 pode não ser muita coisa, mas para eles é uma compra mensal”, completa ela chamando a atenção dos vereadores da cidade.