O empreendedor critica a falta de ação da administração municipal para a retomada das atividades econômicas que está prejudicando a vida das pessoas

Acompanhe a entrevista especial com o empreendedor e gestor em Políticas Públicas, Pablo Monteiro, que comenta sobre a decisão dos prefeitos dos municípios do Consórcio de Desenvolvimento do Alto Tietê (Condemat), em não antecipar feriados e seguir com o funcionamento da região dentro das determinações da Fase Emergencial do Plano São Paulo.

O gestor também comenta sobre os comerciantes que pressionam a Prefeitura de Mogi para a flexibilização. Ontem a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, recebeu a presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC), Fádua Sleiman, e o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e da região do Alto Tietê (Sincomercio), Valterli Martinez, que pediram socorro ao Legislativo. Pablo Monteiro destaca que em um grupo no WhatsApp, comerciantes, donos de bares e restaurantes, sem fluxo de caixa e se aproximando o quinto dia útil e com as folhas de pagamento para pagar, se queixam do “abandono e da falta de auxílio”.

O empreendedor critica a administração municipal de Mogi pela falta de apoio para o setor. “Está próximo de completar os 100 dias de mandato e o que ele fez? Eu daria mais 100, mais 200 dias, mas a gente precisa de ação planejada”, comentou. Ele completa fazendo outra crítica às medidas adotadas pelo município: “as três parcelas de IPTU referentes aos meses de abril, maio e junho, foram prorrogadas para o final do ano, mas só prorrogar não é o suficiente. Por que não fizeram renúncia fiscal? Não deram desconto? Já faz um ano que estamos pagando essa conta”, destacou afirmando que os comerciantes estão quebrando e sem dinheiro para pagar nem aluguel e nem os salários dos funcionários.