“Muitos pontos de interrogação que não foram respondidos. Se não há nada de errado, por que não disponibilizar esses dados e tornar isso transparente?”, questiona a vereadora Inês Paz, que é favorável à criação de uma Comissão Especial de Inquérito para investigar as suspeitas de fura fila em Mogi das Cruzes

Vereadores da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes tentam viabilizar a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar as suspeitas de fura fila da vacina na Secretaria Municipal de Saúde. Até o momento a CEI que depende de 8 assinaturas, tem 6 parlamentares apoiadores que são: Iduigues Martins (PT), Carlos Lucareski (PV), Edson Santos (PSD), José Luiz Furtado (PSDB), Marcelo Porfírio da Silva (PSDB), o Marcelo do Sacolão, e Inês Paz (PSOL), que traz o destaque no Radar de hoje.

A vereadora é uma das lideranças no Legislativo para a abertura da Comissão e defende que há necessidade da medida para o fortalecimento da democracia e transparência. Ela reforça ainda que o objetivo da investigação não é incriminar os 900 servidores, segundo o Ministério Público (MP), que “teriam sido vacinados furando a fila da imunização”. “É nosso papel fazer a fiscalização, somos um dos três poderes independentes que tem competência de apurar o caso”, explicou.

“Muitos pontos de interrogação que não foram respondidos. Se não há nada de errado, por que não disponibilizar esses dados e tornar isso transparente?”, questiona a vereadora que explica que está pedindo que os outros parlamentares também assinem o documento. “Nós temos Legislativo para isso”, destacou Inês Paz justificando que o ideal seria que vereadores deveriam abrir a CEI para fiscalizar as ações do prefeito Caio Cunha (PODE).

Ela ainda esclarece que a Câmara não pode e não deve ser uma extensão e nem exercer protecionismo do Executivo mogiano, mas sim priorizar uma atuação independente da Câmara em prol dos cidadãos. Acompanhe