Investimento em tecnologia e métodos alternativos de aprendizagem, como a gamificação podem ajudar a diminuir os prejuízos causados pela Covid-19

Com déficit de ensino e evasão escolar, secretarias de Educação de vários Estados do país criam editais municipais oferecendo apoio informativo e técnico para enfrentar os desafios causados pela pandemia. O professor e doutor em Comunicação, Ariovaldo Folino Júnior, traz os destaques de como a crise sanitária afetou o Plano Nacional de Educação (PNE), lei que determina as diretrizes, metas e estratégias para a política educacional no período de 2014 a 2024. No Ensino Médio a meta é ter 100% de jovens entre 15 e 17 anos na escola e estamos apenas com 73%. No que tange ao Ensino Superior ainda estamos cerca de 13% a menos, para atingirmos 50% de taxa de matrícula entre 18 a 24 anos. No Ensino Infantil e Fundamental o distanciamento do cumprimento das metas é ainda maior. O professor Ari enfatiza que inovações nos métodos de ensino, como a gamificação pode ser uma solução para a reintegração desses jovens e alunos no processo de aprendizagem. Ele também deixa uma mensagem: “é preciso continuarmos nos esforçando para que todos tenham oportunidade e busquem ir para a escola, a escola é a formação da base social”. Acompanhe