Após a confirmação de casos da Covid-19, duas escolas fecham as portas para revisão das medidas de combate ao contágio do vírus

Após a confirmação de quatro funcionários administrativos contaminados pela Covid-19, as unidades escolares do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Braz Cubas e da Vila Oliveira, em Mogi das Cruzes, suspenderam as aulas presenciais que teriam início na segunda-feira (15|02), com expectativa de retomar a programação no próximo dia 26 de fevereiro.

Até lá, os alunos prosseguem apenas com as atividades remotas, que começaram no dia 25 de janeiro. O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) informou ontem (16/02) que vai ingressar com uma representação no Ministério Público de Mogi contra a dirigente regional de Ensino, Estela Vanessa de Menezes Cruz. Segundo uma das coordenadoras da subsede mogiana da Apeoesp, Vânia Pereira da Silva, o sindicato está recorrendo ao MP, porque a dirigente não responde aos ofícios a ela enviados solicitando providências diante dos casos de Covid-19 nas escolas estaduais de Mogi e da região.

O assunto foi destaque durante a sessão ordinária ontem (16/02) na Câmara de Mogi. A vereadora Inês Paz (PSOL) voltou a criticar o Governo do Estado pela retomada das aulas presenciais na rede estadual e alertou para o registro de casos de contaminação por Covid-19 entre alunos, professores e funcionários. O vereador Iduigues Martins (PT) comparou a situação das escolas públicas e da escolas particulares em Mogi, além de criticar o Governo Federal pela atual situação de pandemia do coronavírus no país.