Ser professor, é um dom, uma dádiva, uma arte. Muito se diz sobre o ofício de ser professor, logo lembramos de nossos professores, desde o ensino infantil até os professores de nossa adolescência, somos e seremos sempre gratos a todos.

Mas hoje trago à luz os colegas professores do ensino superior, aqueles que, no dia a dia, recebem e acolhem seus alunos, para corroborarem com a formação profissional desses. Muitos não são pedagogos de formação, ou nem mesmo licenciados, mas por sua capacidade profissional e acadêmica, perfilando em bancos de cursos lato-sensu, de mestrado, de doutorado e pós-doutorado, atuam brilhantemente nessa área, contribuindo com a formação profissional, ampliando a visão de seus alunos.

Esses tenazes colegas, num momento de extrema adversidade, enfrentam com maestria o desafio de contribuírem com a formação, muitos de maneira remota, dos alunos em suas carreiras.

Imagem divulgação

Todos tiveram que, de uma hora para outra, desenvolver habilidades e aptidões para que suas aulas remotas fossem da mesma qualidade e esmero, que outrora praticavam em salas presenciais.

Ao longo de nossas vidas, todos, todos os professores, que perpassam em nossa existência, têm seu valor, importância e relevância para nossa trajetória e existência. Ser professor marca e decalca a vida de muitos. Indigna o fato de que, por motivos únicos e exclusivos de incompetência de gestão para aquisição de vacinas, os professores do ensino superior, foram esquecidos e colocados à margem do cronograma de vacinação, o que de fato nos leva a concluir que o ensino é superior, mas os professores foram inferiorizados.