Segundo o médico que atua há 31 anos na Prefeitura de Poá, é por isso que a prefeita da cidade Marcia Bin não aceita conceder uma entrevista para o Radar Noticioso

POLÊMICA: Em Poá, médicos se opõem às mudanças de horários realizadas com a terceirização do Hospital Municipal Guido Guida e consideram entrar em greve. Os profissionais exigem o recebimento das horas extras cumpridas na pandemia, cujo pagamento foi suspenso pela Prefeitura, as férias e folgas abonadas, entre outros benefícios nas condições de trabalho. Quem criticou a prefeita da cidade Marcia Bin (PSDB) foi o médico servidor concursado há 31 anos e ex-secretário de Saúde de Poá, Dr. Ali El Kadri, que explicou os problemas enfrentados pelos moradores com a falta de atendimentos e as reivindicações dos funcionários da Saúde.

O médico comentou que a prefeita da cidade, Marcia Bin, está demonstrando um despreparo muito grande em administrar a cidade. “Por isso, ela nunca aceitou conceder entrevista para o Radar Noticioso porque ela não tem o que dizer”, comentou. “Ela não sabe administrar, não sabe fazer nada e está demonstrando isso agora, quando sucateou a Saúde toda. Muito grave o que está acontecendo em Poá, ela está querendo acabar até com USF, que é a Unidade de Saúde da Família. É a única cidade do Alto Tietê que vai acabar com a USF, isso não existe”, enfatizou.

Segundo ele, vão ser mais de 30 mil pessoas que ficarão sem atendimento médico e aqueles pacientes que estão acamados e são visitados em casa pelo médico e pelo enfermeiro vão ficar abandonados. “É uma coisa muito grave o que está acontecendo em Poá”, afirmou.

Dr. Ali El Kadri disse que em pouquíssimo tempo a prefeita conseguiu acabar com a saúde pública da cidade que era uma das referências no Alto Tietê. “Ela retirou a ortopedia que fazia mais de 20 mil atendimentos por ano e que está há 12 anos na cidade, eu quando fui secretário implementei isso na cidade e ela acabou com esse serviço. Ela também acabou com o serviço de ultrassonografia, nós temos mamógrafo. Mas não estamos fazendo mamografia e tudo com uma justificativa falando que não tem dinheiro”, comentou.

O médico explicou que Poá está arrecadando quase R$ 340 milhões, que é o mesmo valor que a cidade de Ferraz de Vasconcelos, que tem o dobro de população e o território é maior. “Na verdade, isso é uma incompetência total. É falta de gestão. Olha a coisa é muito grave, ela fez um decreto de calamidade financeira em 21 de janeiro e vou falar uma cosia absurda que está acontecendo na terceirização. Eles querem tirar médicos, enfermeiros e auxiliares concursados do hospital e enfiar eles nos postos de saúde, para ter mais gente para empregar. Criar um ‘empreguismo’ aqui na Prefeitura. O cabide de emprego do Testinha e da Marcia Bin. É um absurdo isso ai. O que você tem que fazer se fosse uma gestão que estivesse pensando na cidade? Você tem os concursados, deixa eles e complementa o quadro como é feito em Itaquá. Lá você tem concursados e aí a Prefeitura terceiriza o que precisa. Não manda os concursados para os postos”, criticou.

O médico disse que a prefeita Marcia Bin está fazendo isso e que o gasto só vai aumentar, pois vão mandar os concursados para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e ainda vão contratar mais pessoas. “Os postos de Poá não precisam de tudo isso, não. Vão pegar médicos que estão preparados para atender na emergência, na urgência para botar para fazer medicina preventiva? Tá errado, os postos não são para isso. É uma coisa sem técnica nenhuma, tudo trazendo prejuízos para a cidade”, frisou.

Dr. Ali El Kadri também denunciou várias perseguições que estariam acontecendo contra profissionais da área da saúde e sobre a greve que pode acontecer na cidade. Quer saber mais? Acompanhe a entrevista completa.