Representando o setor comercial, a presidente da ACMC, Fádua Sleiman, aponta que um ofício com o pedido de flexibilização será entregue ao prefeito Caio Cunha

A Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, representada pelo presidente Otto Rezende (PSD) e os vereadores líderes de partidos, solicitou reunião com a diretoria da Associação Comercial de Mogi das Cruzes e do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes para ouvir as reivindicações do setor que pediu socorro ao Legislativo.

Após exercer a sua função de discutir os problemas da cidade, indicou ao Poder Executivo o seu posicionamento de sensibilidade à manutenção do comércio e empregos, sugerindo que na difícil tarefa da priorização da saúde, preserve a economia local, se possível, acompanhando as decisões do Condemat e da fase emergencial do Plano São Paulo.

A presidente da ACMC, Fádua Sleiman, explicou ao Radar Noticioso que a reunião na Câmara serviu para alertar os vereadores sobre a situação dos comerciantes da cidade, após o início da “fase crítica”. O propósito de sua reivindicação é interceder pelos comerciantes que passam mais uma vez por um período de incertezas e prejuízos.

Ela ressaltou que os comerciantes necessitam de contra partida por parte da administração municipal para superar o período crítico e citou o retorno do drive thru, como ação fundamental para sobrevivência dos comerciantes locais. Segundo el, um ofício com o pedido de flexibilização das medidas vai ser encaminhado pelo presidente da Câmara de Mogi vereador Dr Otto Rezende (PSD) ao prefeito Caio Cunha (Pode).

Reforçando o posicionamento do setor, o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, explicou a necessidade de seguir as ações definidas dentro do Plano São Paulo de retomada econômica e reforçadas pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). Acompanhe na integra