Antes de ser capturado e morrer, o serial killer fez uma família de refém

Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, estava a 20 dias escondido das forças de segurança do Distrito Federal e de Goiás, depois de matar uma família no dia 09 de junho ele se tornou o serial killer mais temido do Brasil nesses últimos dias. Suspeito de chacina em Ceilândia, no Distrito Federal, fugiu três vezes da prisão e é acusado de diversos crimes desde 2007. Em Goiá, ele foi preso após ser baleado nesta manhã. Policiais comemoraram a prisão do Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás, que está sendo procurado desde que é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

Quem divulgou oficialmente a informação foi o governador de Goiás, Ronaldo Caiado que deu a seguinte declaração. “Como eu disse, era questão de tempo até que a nossa polícia, a mais preparada do País, capturasse o assassino Lázaro Barbosa. Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido”, completou o governador.

Imagens que mostram o fugitivo ferido já circulam na internet e foi confirmado que o criminoso não resistiu aos disparos e chegou a óbito, após tentar, por mais uma vez, fugir da Polícia. Durante a perseguição, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, trocou tiros e baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da força-tarefa. E antes de morrer, como uma última tentativa de escapar, ele também fez uma família refém em uma das fazendas, um casal e uma adolescente de 16 anos. Durante o sequestro, o criminoso exigiu que todos andassem em um córrego para não deixar rastros, mas a polícia encontrou a família junto a um carro queimado e alguns objetos, como um lençol usado e um serrote, que já seguiram para a perícia.