Pixabay

A Constituição Federal de 1988, no Artigo 205 garante o direito a Educação: Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.”

O acesso a uma Educação de qualidade, transforma a sociedade, promove o desenvolvimento do país impactando no combate à pobreza, no crescimento da economia, na promoção a saúde, na preservação do meio ambiente, no combate a violência, alicerça a democracia, garante os direitos do cidadão e ajuda a entender melhor o mundo, ou seja é fundamental para o desenvolvimento sócio econômico do país.

Quando pensamos na palavra EDUCAÇÃO, a primeira associação que fazemos é com o lugar que é praticada, na escola! As escolas, não importa se é presencial, híbrido, educação a distância, ensino remoto, educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, graduação, cursos técnicos, cursos livres, pós graduação. No ensino público ou privado as escolas tem como missão socializar e promover o acesso ao conhecimento, na formação de pessoas críticas, engajadas, éticas, para transformarem a sociedade através do conhecimento.  

Mas será que somente nas escolas é lugar de se falar de educação? A inserção da tecnologia no cotidiano nos oportunizou o acesso a muita informação sobre diversos temas inclusive sobre educação. São conteúdos diversos, no formato de vídeos, artigos, infográficos, blogs, animações, mas como compreender tudo isso não é fácil e pode gerar o fenômeno da infoxicação.

Uma pesquisa sobre Infoxicação, Políticas públicas e Educação, foi publicado pela Revista de Educação, Ciência e Tecnologia do IFRS, em 2020 e aborda esse fenômeno, segundo os pesquisadores, o termo foi criado por Alfons Cornella, na década de 90, para explicar a dificuldade em digerir o excesso de informação oferecida diariamente no meio digital e também distinguir a qualidade, veracidade e relevância das informações a serem absorvidas.

A infoxicação se manifesta na busca, seleção e no processamento das informações e suas consequências são preocupantes: desde ansiedade e estresse até sintomas somáticos que prejudicam áreas importantes da vida, além da área educacional.

Diante de tanta informação, é necessário falar sobre educação, seja em eventos, em canais digitais, nas instituições de ensino de modo assertivo, esclarecedor, verdadeiro, descomplicado, com um olhar contemporâneo, em diferentes vertentes para públicos diversos. Somente assim as pessoas poderão se inspirar, se orientar, fazer escolhas corretas, se interessar e entender que esse é o único caminho para o desenvolvimento.  Afinal   “Quanto mais nos sentimos bem em relação ao ambiente, mais eficiente seremos”, afirma Shawn Achor no livro “O jeito Harvard de ser feliz.”  AL